A Justiça do Paraná aceitou a denúncia apresentada pelo Ministério Público contra acusados que instigaram e auxiliaram no atentado.

O rapaz participou ativamente do crime instigando o atirador a realizar o ataque a tiros e era um agressor em potencial, segundo a investigação.

Um homem preso em Pernambuco foi apontado como mentor intelectual da invasão à escola; o atirador, encontrado morto sob custódia do Estado, não será indiciado.

As atividades acadêmicas haviam sido suspensas na última segunda-feira, após o ataque covarde que chocou o país. Dois estudantes morreram no atentado a tiros.

Com a medida, a comunidade escolar de Cambé tenta aos poucos retomar a rotina após a tragédia que chocou o país.

Baleado na cabeça no Colégio Estadual Helena Kolody, o jovem chegou a ser socorrido em estado gravíssimo, mas não resistiu aos ferimentos.

O homem, de 21 anos, foi encontrado morto em uma cela na Casa de Custódia de Londrina; a causa da morte não foi informada.

A jovem Karoline foi baleada no pátio do Colégio Estadual Professora Helena Kolody e morreu no local. A estudante não teve qualquer chance de defesa.

O jovem havia sido baleado na cabeça e estava internado em estado gravíssimo no Hospital Universitário de Londrina, mas não resistiu aos ferimentos.

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, afirmou que o ataque ocorreu no local mais “sagrado para a infância”, uma escola.