Mandados são cumpridos em Maringá; a justiça determinou o sequestro de bens móveis, bem como o bloqueio de contas bancárias de 14 investigados.

Mais de 60 mandados são cumpridos pelos policiais federais no Estado, além do Ceará, São Paulo, Rio Grande do Norte e Santa Catarina.

Os investigados convidaram e organizaram transporte em 8 de janeiro em Brasília, e compartilharam instruções detalhadas para a invasão aos prédios públicos.

Conforme as investigações, os envolvidos realizavam a venda dos produtos em plataformas de comércio eletrônicos.

De acordo com as investigações, os suspeitos praticaram crimes no pleito eleitoral do ano passado, como compra de votos em diversos municípios paranaenses e caixa dois.

A ação ocorre no Paraná e em outros quatro estados, além do Distrito Federal; no início do mês, bolsonaristas radicais invadiram e vandalizaram Brasília.

Os mandados foram ordenados por Alexandre de Moraes e miram envolvidos em atos antidemocráticos, incluindo bloqueios em rodovias e manifestações em quartéis.

Conforme a PF, a grupo atuava no contrabando de cigarros vindos do Paraguai, com a utilização de veículos preparados para o transporte.

Suspeitos agiam na obtenção irregular de benefícios, especialmente pensões por morte e aposentadorias, conforme a polícia.

Suspeito descumpriu medidas cautelares impostas pela Justiça Federal; além da prisão, PF cumpriu outros dois mandados de busca e apreensão na Capital.