Presidente do TSE também aplicou multa de R$ 22,9 milhões à coligação de Jair Bolsonaro, por litigância de má-fé.

Bolsonaro não ia até o Planalto desde o dia 3 de novembro; retorno ocorre um dia após o PL apresentar um relatório em que pede a invalidação de votos.

Derrotado no segundo turno das eleições por Lula, o chefe do Executivo sempre levantou suspeitas, sem provas, contra as urnas eletrônicas.

Os militares fazem parte da comissão de transparência criada pelo TSE para fiscalizar as eleições, que foram encerradas em 30 de outubro com vitória de Lula.

O TSE tem restringido contas que levantem suspeitas sem provas sobre fraude nas urnas eletrônicas ou motivem atos antidemocráticos.

Apesar da polarização do pleito presidencial, a eleição ocorreu de forma pacífica; Alexandre de Moraes pediu ainda o fim de ataques contra a credibilidade das urnas eletrônicas.

De acordo com um ministro de corte superior, Bolsonaro discursa para o seu eleitorado com o intuito de provocar tumultos no dia 30, em caso de derrota, e, assim, tenta preparar o "tapetão".

Cinco cargos estão em disputa na votação deste ano: Deputado federal, Deputado estadual, Senador, Governador e Presidente da República.

Urnas eletrônicas do estado passarão pelo Teste de Integridade e pelo Teste de Autenticidade dos Sistemas neste final de semana de votação.

Conforme a resolução do TSE, agora, antes de se dirigir à urna e votar, o eleitor precisará deixar o celular com o mesário.