Os crimes geralmente ocorriam no Litoral, em caminhões que seguiam ao Porto de Paranaguá.

As investigações apontaram que o esquema criminoso contava com o apoio de motoristas.

Vítimas eram abordadas em postos de combustíveis em rodovias do Estado e mantidas em cativeiro.

Sistema logístico possibilita o monitoramento do transporte da carga em tempo real por meio de um aplicativo de celular.

Conforme a PCPR, o grupo criminoso está ligado a pelo menos oito ocorrências de roubo de cargas. O prejuízo estimado é superior a R$ 2 milhões.

Ação ocorre simultaneamente em Curitiba e municípios da Região Metropolitana; cargas de cigarro, eletrônicos e eletrodomésticos eram alvos dos investigados.

De acordo com a PF, os suspeitos utilizavam uniformes de forças policiais e armamento de grosso calibre durante a abordagem aos caminhoneiros.

A ação de hoje ocorre em complemento a uma investigação do roubo de materiais que seriam vendidos no show do cantor britânico Harry Styles, em dezembro do ano passado.

A polícia apurou que os investigados estão ligados a um roubo de materiais que seriam vendidos no show do cantor britânico Harry Styles, em Curitiba.

Conforme a Polícia Civil, a quadrilha era especializada no roubo de cargas de cigarros e mercadorias de e-commerces.