Os ministros Rosa Weber e Alexandre de Moraes teriam esclarecido às detidas que as suas condutas serão individualizadas e que elas serão punidas com Justiça.

O número total de denunciados pelo Grupo Estratégico de Combate aos Atos Antidemocráticos chegou a 912 pessoas, entre executores e incitadores.

Além de 20 pessoas presas pela Polícia Federal por envolvimento na depredação em Brasília, 920 pessoas seguem custodiadas na Capital Federal.

Os detidos podem até estar em áreas separadas dos demais presos, mas passaram a conviver com as mesmas condições, como banho frio, superlotação e mau cheiro.

Os presos respondem por crimes como terrorismo e tentativa de golpe de estado; outras 220 pessoas foram liberadas, mas com a obrigação de cumprimento de medidas cautelares.

Ao justificar sua posição, o presidente Lula afirmou que uma CPI neste momento pode "causar uma confusão tremenda".

Assim como a maioria das prisões brasileiras, as unidades prisionais para onde os bolsonaristas detidos estão sendo levados estão superlotadas.

Os detidos vão responder por crimes de terrorismo, associação criminosa, atentado contra o Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, perseguição e incitação ao crime.