O réu acusado de empurrar um jovem contra um ônibus após uma discussão, em Cascavel, vai a júri por homicídio qualificado.

O caso ocorreu em maio do ano passado e chocou o Paraná; o policial federal responde por homicídio qualificado e mais sete tentativas de homicídio.

O julgamento do crime que chocou o país acontece quase oito anos após a morte da fisiculturista, e será realizado no Tribunal do Júri.

Policial penal Jorge Guaranho será julgado por homicídio duplamente qualificado; crime ocorreu em julho, durante a própria festa de aniversário do petista.

O caso aconteceu em 2017, na residência do casal, bairro Tarumã, em Curitiba. Desde então, a esposa chegou a apresentar cinco versões diferentes.

Julgamento de Everton Vargas teve um breve início nesta segunda (24). Suspensão atende a um pedido da defesa, que pediu a dissolução do corpo de jurados.

O caso ocorreu em maio desse ano e teve grande repercussão no estado; após a agressão, a vítima ficou internada por vários dias na UTI, em estado grave.

Os réus estão sendo julgados por homicídio qualificado e tentativa de homicídio; a previsão é que o resultado seja divulgado no fim do dia.

Caso ocorreu em 2017; Melissa de Almeida Araújo foi assassinada por ser agente na Penitenciária Federal de Catanduvas.

Caso aconteceu em 2016; ex-policial civil teria ficado irritada com o barulho de uma confraternização e atirou, atingindo a cabeça da copeira.