Além da BR-277, um grupo despejou terra sobre a pista da BR-369; um motorista que seguia na rodovia não percebeu os entulhos e acabou batendo.

Esse era o único ponto de bloqueio ilegal no trecho paranaense das rodovias federais na manhã de hoje, de acordo com a PRF.

O bloqueio ilegal gera transtornos na região e interrompe o transporte de cargas ao Porto de Paranaguá; não há previsão de liberação da via, segundo a polícia.

Moraes ressaltou que pedir por "intervenção federal" pode configurar o crime de Abolição Violenta do Estado Democrático de Direito, cuja pena pode ser de quatro a oito anos de prisão.

Os bloqueios ilegais nas rodovias do Paraná haviam sido encerrados na última sexta-feira (4), mas voltaram a ser registrados hoje.

Todos os manifestantes e lideranças identificados pela polícia foram qualificados e responderão à Justiça Federal pelos bloqueios ilegais.

Os últimos pontos de manifestações antidemocráticas nas estradas paranaenses foram desmobilizados no início da noite desta quinta.

A polícia busca mais responsáveis pelos bloqueios ilegais, a fim de autuar e multar os incentivadores dos atos.

Diversos pontos de manifestação de cunho golpista foram desmobilizados por forças de segurança nas estradas federais e estaduais; acompanhe em tempo real.

Caminhoneiros e manifestantes promovem bloqueios nas rodovias do Paraná desde a noite de domingo (30), após a derrota do candidato à reeleição Jair Bolsonaro.