Foto: Divulgação/PF

PF investiga caça ilegal no Parque Nacional do Iguaçu

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram um criminoso matando um animal no entorno da área de proteção ambiental.

A PF (Polícia Federal) investiga a ocorrência de caça ilegal no Parque Nacional do Iguaçu, na região Oeste do Estado. Equipes cumpriram mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (7) na cidade de Capanema, para reprimir o crime ambiental.

Conforme a polícia, as investigações começaram a partir de dois vídeos que circulam nas redes sociais e mostram um homem matando um veado nos entornos da área de proteção ambiental.

No primeiro vídeo, o animal aparece dentro do Rio Iguaçu, tentando fugir do criminoso que está pilotando um jet ski. Já no segundo vídeo, o animal já aparece morto, e o caçador comemora, informando ainda que “não houve tortura”.

Apesar de o autor do crime ambiental não expor seu rosto nos vídeos, os policiais federais realizaram diligências e perícias para identificar o responsável, por meio de técnicas de investigação, identificação de referências locais e pesquisa por testemunhas do fato.

Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos na cidade de Capanema. As ordens judiciais foram expedidas pela 4º Vara Federal de Foz do Iguaçu.

“A partir dos indícios coletados, foi deferido o pedido de dois mandados de busca e apreensão que foram cumpridos na data de hoje. Ressalte-se que a morte do animal gerou revolta na população local, tendo em vista a crueldade do investigado”, afirma a PF.

A pena pelo crime de caça ilegal é de seis meses e um ano, e multa, mas pode ser aumentada de metade caso seja cometido em unidade de conservação.

Após o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, as investigações continuam através da análise dos materiais arrecadados, buscando a identificação dos envolvidos pelo crime ambiental, ainda de acordo com a PF.