operação, homicídios, curitiba, campo do santana, caximba, pcpr, polícia civil do paranáFábio Dias/EPR

Oito pessoas são presas por ligação a homicídios no Paraná e Santa Catarina

A operação ocorreu em diversas cidades do Estado

Nesta quarta-feira (10), a PCPR (Polícia Civil do Paraná) cumpriu mandados contra uma organização criminosa ligada a homicídios ocorridos no Estado e em Santa Catarina. Oito pessoas foram presas e diversas armas de fogo apreendidas.

A ação aconteceu simultaneamente em Curitiba, Londrina, Maringá, Colombo, Araucária, Piraquara e Pinhais, no Paraná, no município de Barra Velha, em Santa Catariana, e no Paraguai. Foram cumpridos sete mandados de prisão preventiva e 29 mandados de busca e apreensão.

Um duplo homicídio ocorrido em março de 2023 em Imbituba, Santa Catarina, iniciou as investigações da PCSC (Polícia Civil de Santa Catarina). As vítimas, que eram irmãos, foram mortas por vários disparos de arma de fogo na frente das esposas e filhos.  

Os policiais civis identificaram nove suspeitos envolvidos no crime, dentre eles dois mandantes, cinco executores e dois auxiliares. Foi apurado que os indivíduos se deslocaram do Paraná para Imbituba utilizando pelo menos dois veículos. 

Ainda, no curso das investigações, com apoio da PCPR, foi constatada a participação do grupo criminoso em um duplo homicídio ocorrido em Londrina, em março de 2023, e um homicídio em Maringá, ocorrido em maio do mesmo ano.  

Além disso, restou demonstrado que a organização criminosa é especializada no crime de tráfico de drogas e possui diversas armas de grosso calibre, incluindo fuzis, para prática dos crimes.  

De acordo com a delegada da PCPR Camila Cecconelo, o trabalho integrado entre as polícias civis é de grande relevância e resulta em diligências mais efetivas.  

“Cada vez mais é perceptível que as polícias de estados diversos investigam alvos comuns, alvos que cometem crimes em ambos os estados ou que acabam se refugiando em outro estado. Então o trabalho integrado permite a troca de informações, resolução dos crimes e culmina na prisão de integrantes de organizações criminosas”, afirma a delegada.