No domingo (2), eleitores de diversas seções eleitorais em todo o país reclamaram de imensas filas para votar.

De acordo com tribunal, entre os 80% dos eleitores que compareceram às urnas foi registrado um número de 4,20% de votos brancos e nulos. Nas eleições de 2018, o índice foi 8,8%.

O presidente do TSE também conclamou os eleitores a irem votar tranquilamente no domingo, sem "violência, agressão e xingamento".

Presidente do TSE declarou que muitos dos que se mostram "valentes" em redes sociais não têm coragem na vida real.

Moraes havia determinado buscas e apreensões contra empresários bolsonaristas acusados de compartilhar mensagens antidemocráticas e golpistas.

O presidente costuma atacar as urnas eletrônicas e insinuar que a corte eleitoral pretende fraudar o pleito deste ano contra ele.


Novo presidente do TSE também afirmou que o exercício da democracia garante a possibilidade do eleitor escolher seus representantes; ele foi aplaudido de pé.

A cerimônia de posse ganhou maior relevância porque deve marcar o primeiro encontro de Jair Bolsonaro (PL) e Lula (PT) na campanha ao Palácio do Planalto.

Moraes assume a corte no dia 16, em meio a insinuações golpistas e ataques de Bolsonaro às urnas; próximo presidente do TSE também já foi chamado por Bolsonaro de "canalha" e "parcial".


Na semana que vem, Fachin será sucedido pelo ministro Alexandre de Moraes; na despedida, ministro defendeu a segurança das eleições e o combate à desinformação.