Janja terá cargo sem remuneração no governo, em sala que já foi de Michelle

A primeira-dama pretende usar sua bagagem acadêmica - ela é socióloga e tem MBA em Gestão Social e Sustentabilidade - para ajudar na formulação de políticas públicas.

No terceiro andar do Palácio do Planalto, uma sala próxima ao gabinete do presidente Lula (PT) recebeu uma nova identificação nesta semana: Gabinete de Assuntos Estratégicos em Políticas Públicas. O cargo será ocupado oficialmente pela primeira-dama, Janja da Silva.

A função de Janja não será remunerada. O anúncio será divulgado no Diário Oficial da União nos próximos dias, segundo apurou o UOL.

No governo anterior, o gabinete era utilizado por Michelle Bolsonaro, esposa do ex-presidente Jair Bolsonaro. A estrutura contará, inicialmente, com outros quatro funcionários, que hoje estão alocados na assessoria especial da Presidência da República.

O objetivo do gabinete será trabalhar de forma transversal com ministérios, órgãos ligados ao poder Executivo e representantes da sociedade civil

A primeira-dama pretende usar sua bagagem acadêmica — ela é socióloga e tem MBA em Gestão Social e Sustentabilidade — para ajudar na formulação de políticas públicas. Janja pretende levar algumas demandas diretamente a Lula.

Ela tem participação ativa no entorno de Lula desde a campanha do petista à Presidência. Foi uma das líderes da organização da festa da posse de Lula, em Brasília. 

Atualmente, também participa de assuntos do Ministério da Cultura — a ministra Margareth Menezes teve o nome defendido pela primeira-dama para comandar a pasta.