“Estou doido para fazer um acordo com a União Europeia”, diz Lula

Em discurso na Cúpula para um Novo Pacto Financeiro Global, em Paris, Lula cobrou que os acordos comerciais passem a ser mais justos.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou clara a intenção de firmar a assinatura de um acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia, em discurso na Cúpula para um Novo Pacto Financeiro Global, em Paris, na França, nesta sexta-feira (23). Ao mesmo tempo, Lula cobrou que os acordos comerciais passem a ser mais justos.

“Estou doido para fazer um acordo com a União Europeia, mas não é possível. A carta adicional que foi feita pela UE não permite que se faça um acordo. Nós vamos fazer a resposta e vamos mandar a resposta. Mas é preciso que a gente comece a discutir”, questionou Lula.

O presidente se referiu a um documento adicional que prevê sanções mais duras contra o desmatamento. Esse seria um dos entraves impostos pelo bloco europeu para a assinatura de um acordo com o Mercosul.

“Não é possível que tenhamos uma parceria estratégica e haja uma carta adicional fazendo ameaça a um parceiro estratégico. Como é que a gente vai resolver isso?”, completou Lula, que se sentou ao lado do presidente da França, Emmanuel Macron.

O futuro acordo Mercosul-UE é discutido desde 1999, e envolve os mercados de bens, serviços, investimentos e compras governamentais das duas regiões, além do interesse mútuo de combate ao desmatamento e às consequências das mudanças climáticas.

Antes do evento em solo francês, Lula recebeu em Brasília Ursula von der Leyen, presidente da Comissão da União Europeia, onde tratativas para o possível acordo também haviam sido abordadas.