Rios do Paraná voltam a subir e causam novos alagamentos

O Rio Negro, que dá nome a cidade no Sul paranaense, subiu 2,25 m nas últimas 24 horas.

O nível dos rios que cortam cidades do Sul do Paraná voltaram a subir nesta segunda-feira (30), após as chuvas volumosas que caíram sem parar até este final de semana. O Rio Negro, que dá nome a cidade no Sul paranaense, subiu 2,25 m nas últimas 24 horas, de acordo com a medição hidrológica da Copel.

A cidade que já havia sido duramente castigada pela chuva e a cheia do rio desde o início de outubro. A medição da Copel indica que o Rio Negro estaca com 7,456 m às 7h de hoje – 2,25 m a mais que a régua no mesmo horário no domingo.

O Rio Iguaçu, que corta várias cidades paranaenses, também voltou a subir nas últimas horas. Em União da Vitória, o rio subiu quase 25 cm nas últimas 24 horas. O monitoramento hidrológico aponta que o nível deve aumentar ainda mais ao longo do dia, em razão da enxurrada registrada em Curitiba e região no final de semana.

O alto nível dos rios causa diversos transtornos à população desses municípios, com casas e equipamentos públicos submersos. As escolas e CMEIs de União da Vitória seguem em atendimento emergencial.

Já a cidade de Dois Vizinhos registrou mais de 250 mm de chuva em menos de 24 horas, e o alto volume de chuva causou alagamentos em vários pontos do município.

Previsão de novos temporais no Paraná

A Defesa Civil Estadual aponta que 57 cidades registraram estragos em função das fortes chuvas que atingiram o Paraná desde a última quinta-feira (26). A grande maioria dos municípios está localizada na porção Sul do Estado.

Mais de 36 mil paranaenses foram afetados pelos alagamentos, enxurradas e vendavais. Ainda conforme o órgão, 1.894 pessoas permanecem desalojadas e outras 779 desabrigadas.

O risco para novas tempestades nesta segunda-feira (30) é alto, com previsão de chuva a qualquer hora do dia.

“O tempo no Paraná segue influenciado pela forte massa de ar quente e úmido. Além disso o jato de baixos – fenômeno caracterizado por um máximo no perfil vertical do vento, e que favorece o transporte de calor e umidade da região amazônica para o Sul do Brasil, segue contribuindo para intensificar as tempestades severas sobre o Paraná e regiões vizinhas. Por isso a segunda-feira segue com previsão da ocorrência de tempestades nas diversas regiões do Estado”, explica o Simepar.
Fonte: Simepar