pequenas empresas grandes negociosTânia Rêgo/Agência Brasil

Pequenas e médias empresas consideram taxa de juros principal vantagem da modalidade

Pesquisa apontou principal gasto é com pagamento de fornecedores

Uma pesquisa da Serasa Experian traz a visão das PMEs (Pequenas e Médias Empresas) sobre a modalidade de antecipação de valores a receber -boletos, duplicatas, NFs, recebíveis de cartão de crédito e débito, por exemplo- como opção de acesso a crédito.

Entre os principais benefícios da antecipação de recebíveis, 45% do público mencionam taxas de juros melhores quando comparadas a outras modalidades de acesso a crédito; 43% citam a melhoria no fluxo de caixa; 40% delas indicam acesso ao crédito sem necessidade adicional de endividamento; 38% a maior simplicidade na contratação.

Quando perguntado às PMEs onde elas investem os valores antecipados (considerando todas as modalidades: recebíveis de cartão, NFs, duplicatas, etc.), 22% delas responderam que ampliar capital de giro é a principal função, seguida por equilibrar fluxo de caixa (21%) e investir no próprio negócio (20%).

“Aquelas que fazem vendas via cartão de crédito, por exemplo, detém um fluxo de recebimento futuro de pagamentos, chamada ‘agenda de recebíveis’, que se torna garantia para que elas tenham acesso a melhores condições em compras a prazo ou aquisições de empréstimos. Para as PMEs, essa é uma opção que realmente apoia e alavanca negócios”, afirma o vice-presidente de PMEs da Serasa Experian, Cleber Genero.

O principal gasto de uma PME é com pagamento de fornecedores. No entanto, ao contrário do que se pensa, elas não usam a antecipação de recebíveis para compra de insumos. Então elas têm a uma ótima oportunidade para direcionar esses recursos para os maiores gastos, que no caso, é o de pagamento de fornecedores. Percebemos que o empreendedor já tem certa familiaridade com a antecipação, mas ainda há espaço para crescimento”, afirma a diretora de Credit Services da Serasa Experian, Marcia Usami.

Quando quebramos por modalidades (boleto, recebível de cartão de crédito, NF, duplicatas, etc.), os dados mostram que os recebíveis de cartão de crédito são usados para equilibrar o fluxo de caixa (32%) e pagar contas antes de atrasar (27%). Já outros tipos de antecipação, como boletos e NFs, são tanto para ampliar capital de giro (27%) e equilibrar fluxo de caixa (26%), quanto para comprar matéria-prima (22%).

“Entender o panorama geral desse mercado, as dores das PMEs em relação ao tema e traduzir para a linguagem desse público é parte do nosso papel de empoderar essas empresas. O crédito é um caminho para o crescimento, para um fluxo de caixa mais saudável e para evitar o endividamento, como vimos, e cada vez mais é importante que as PMEs usem o crédito de forma estratégica”, conclui Cleber Genero.