Rússia prende jornalista que criticou Guerra da Ucrânia ao vivo

A lei de censura militar instituída com a guerra prevê até 15 anos de prisão para quem espalhar o que o Kremlin considerar fake news sobre a crise.

A jornalista russa Marina Ovsiannikova, que ganhou notoriedade mundial ao criticar ao vivo a Guerra da Ucrânia, foi detida nesta quarta-feira (10) em Moscou.


Em março, logo depois do começo do conflito, ela apareceu atrás da apresentadora de um popular noticiário do estatal Primeiro Canal com um cartaz com dizeres contrários à invasão promovida por Vladimir Putin.


Logo depois, deixou o emprego e foi processada por “desacreditar o Exército”. 

Em julho, ela foi condenada a pagar multas pelo ato e, agora, está sendo alvo aparentemente de uma investigação criminal.


A lei de censura militar instituída com a guerra prevê até 15 anos de prisão para quem espalhar o que o Kremlin considerar fake news sobre a crise.