A Polícia Federal afirmou que identificou outras cinco pessoas por participação na ocultação dos cadáveres do indigenista e do jornalista.

Ao falar com apoiadores, ele ignorou os assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, que ocorreram este mês no estado.

“Pelado da Dinha” se entregou à polícia em Atalaia do Norte; suspeito será interrogado pelos investigadores e, em seguida, passará por audiência de custódia.

Indigenista assassinado deixa três filhos; ele tinha vasta experiência na terra indígena e foi dispensado da Funai durante o governo de Jair Bolsonaro.

Tristeza, revolta, indignação, injustiça, barbárie, atrocidade - essas foram algumas das palavras usadas para expressar repúdio e pedir que o caso seja amplamente esclarecido e não termine impune.

Segundo Alessandra, a PF lhe confirmou a localização de dois corpos, mas disse que eles ainda precisavam ser periciados e identificados.

A expectativa das autoridades que atuam na investigação é que os pertences ajudem a destravar as investigações.

PF encontrou traços de sangue na embarcação do suspeito; jornalista Dom Phillips e indigenista Bruno Pereira sumiram sem deixar vestígios no domingo.