O pente-fino foi realizado pela Controladoria-Geral da União; o Auxílio Brasil foi implantado durante o governo Bolsonaro e substituído neste ano pelo Bolsa Família.

Segundo a equipe de Lula, Bolsonaro incluiu 2,5 milhões de pessoas pouco antes das eleições no programa social, o que pode configurar um crime eleitoral.

Além do Auxílio Brasil, o montante também atende ao financiamento, até dezembro, de outros programas sociais, como o Auxílio Gás e o Alimenta Brasil.

A pesquisa mostra que Lula ampliou a vantagem entre os mais pobres, após revelado o plano do ministro Paulo Guedes de deixar de corrigir o salário mínimo e aposentadorias pela inflação passada.


O calendário de pagamento em outubro foi antecipado pelo governo federal para ser concluído antes do segundo turno da eleição presidencial, no dia 30.

A parcela paga pela Caixa a partir de hoje será a primeira com o valor mínimo de R$ 600, que vigorará até dezembro.

Atualmente, 17,5 milhões de famílias são atendidas pelo programa social; confira o calendário completo de pagamentos do Auxílio Brasil.

Os recursos extras serão depositados a partir de agosto, a menos de dois meses das eleições para presidente da República.

A medida faz parte de esforço do atual governo antes das eleições e deve custar cerca de R$ 130 milhões, conforme o Ministério da Cidadania.

De acordo com a nota do Planalto, o custo do programa será de R$ 88,5 bilhões.; o texto foi publicado, sem vetos, no Diário Oficial da União desta quinta (19).