moro cassação mp paraná(José Cruz/Agência Brasil)

MP pede cassação do senador Sergio Moro

Julgamento deve acontecer em janeiro de 2024.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) emitiu um parecer para que Sergio Moro (União Brasil) perca o mandato como senador.

A cassação do parlamentar é defendida pelo documento emitido por Marcelo Godoy e Eloisa Helena Machado, da Procuradoria Regional Eleitoral do Paraná.

A dupla acolhe parcialmente uma ação contra Moro aberta pelos partidos PL e pela Federação Brasil da Esperança (PT/PCdoB/PV), que acusam uma vantagem indevida na corrida eleitoral.

O senador foi acusado de abuso político e econômico, além de caixa dois e uso indevido dos meios de comunicação social, durante a pré-campanha das Eleições 2022. Moro nega qualquer irregularidade e, após depoimento, classificou as acusações de ‘levianas’.

Os procuradores descartam que houve caixa dois, mas apontam abuso econômico: “os valores despendidos nesta empreitada em prol dos investigados mostrou-se, de fato, desarrazoada, assumindo contornos de uso excessivo do poderio econômico”, diz trecho do parecer.

Apesar do parecer do MP, a decisão do processo deve acontecer com o julgamento, previsto para janeiro de 2024. O relator do processo, juiz eleitoral Luciano Carrasco Falavinha Souza, vai pronunciar o voto antes do plenário do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) se manifestar.

MORO DIZ QUE CONTINUA TRABALHANDO PARA CONVENCER OS JUÍZES

Em nota, o senador paranaense aponta que vai continuar trabalhando para comprovar inocência.

“Respeito, mas discordo do parecer, na medida em que considerou gastos fora do Paraná e aqueles indiferentes eleitorais (segurança, para não ser assassinado pelo PCC) como despesas pré-eleitorais. A boa notícia é que dos 20 milhões inventados pelo PT; e os 6 milhões criados pelo Podemos, já reduzimos para 2 milhões. Seguiremos baixando ainda mais a conta no trabalho de convencimento dos juízes do TRE. A improcedência acontecerá”, disse.