tráfico internacional de armasFoto: Divulgação/PF

Operação contra esquema bilionário de tráfico de armas tem alvos no Paraná

Armas eram revendidas às principais facções criminosas do país; esquema movimentou R$ 1,2 bilhão.

Uma operação conjunta da Polícia Federal com órgãos de segurança internacionais miram um esquema bilionário de tráfico de armas cumpre mandados em cidades do Paraná e em outros estados e países, nesta terça-feira (5).

As armas eram importadas da Europa para o Paraguai, onde eram raspadas e revendidas a grupos de intermediários que atuavam na fronteira brasileira com o país vizinho, no Oeste paranaense, para serem revendidas às principais facções criminosas do Brasil.

Conforme a PF, o grupo investigado teria importado cerca de 43 mil armas, num esquema que movimentou R$ 1,2 bilhão em três anos.

A grande operação é coordenada pela Polícia Federal da Bahia, e cumpre 25 mandados de prisões preventivas, 6 ordens de prisão temporária e 54 mandados de busca e apreensão, no Brasil, Paraguai e nos Estados Unidos.

Há alvos nas cidades paranaenses de Foz do Iguaçu, na região da Tríplice Fronteira, e em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. A PF também cumpre ordens judiciais em no Rio de Janeiro, São Paulo, Sorocaba, Praia Grande, São Bernardo do Campo, Brasília e Belo Horizonte.

Foto: Divulgação/PF

“As investigações em curso permitiram desvendar uma complexa e multimilionária engrenagem de tráfico ilícito de armas de fogo da Europa para a América do Sul. Uma empresa sediada em Assunção, no Paraguai, foi responsável pela importação de milhares de pistolas, fuzis e munições de vários fabricantes europeus sediados na Croácia, Turquia, República Tcheca e Eslovênia”, explica a PF.

Nos últimos três anos, foram realizadas 67 apreensões que totalizam 659 armas apreendidas no território brasileiro, no Paraná Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia e Ceará.

A ação contra o tráfico internacional de armas é realizada pela Polícia Federal em parceria com Ministério Público Federal e conta com cooperação da Secretaria Nacional Antidrogas e do Ministério Público do Paraguai. Também apoiam os trabalhos a Força-Tarefa Internacional de Combate ao Tráfico de Armas e Munições), composta pela HSI (Homeland Security Investigations) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Veja também: Cinco homens morrem em confronto com a Polícia Militar em Maringá; VÍDEO