Com time reserva, Athletico arranca empate com o Ceará

De olho na semifinal da Copa Libertadores contra o Palmeiras, Felipão preservou seus principais jogadores e levou a campo um time reserva.

O Athletico empatou sem gols com o Ceará, na Arena Castelão, em Fortaleza, na noite deste sábado (27), em jogo válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

De olho na semifinal da Copa Libertadores contra o Palmeiras, o técnico Luiz Felipe Scolari preservou seus principais jogadores e levou a campo um time recheado de reservas.

Com o ponto conquistado fora de casa, o Furacão subiu momentaneamente para a 5ª colocação, com 39 pontos – mesma pontuação do Corinthians, equipe que fecha o G4 – e se manteve na primeira página da tabela.

Já o Ceará permanece como 15º colocado, agora com 27 pontos, e se aproxima perigosamente da zona de rebaixamento. O “fato novo” no Vovô para a sequência do campeonato é a contratação do técnico Lucho González, que esteve no Castelão hoje.

O Athletico volta a campo já na terça-feira (30), às 21h30 na Arena da Baixada, pelo jogo de ida da semifinal da Copa Libertadores, contra o Palmeiras, em seu principal compromisso do ano até aqui. Pelo Brasileiro, o Furacão encara o Fluminense no próximo sábado (3), também na Arena.

Já o Ceará visita o Flamengo no Estádio Maracanã, no Rio, no domingo (4), pela sequência do Brasileirão.

Reservas do Furacão não encantam, mas seguram o Ceará

Sob os olhares do recém-contratado Lucho González, o Ceará chegou logo aos 4 minutos com Vásquez, de cabeça, mas o goleiro Anderson praticou grande defesa e salvou o Furacão.

O susto inicial pareceu ter acordado o Athletico, tentou priorizar a troca de passes e equilibrou as ações pelo meio. A primeira investida do time de Felipão veio aos 14, após boa trama entre os jovens Vitor Roque e Vitinho, mas o camisa 11 errou o arremate. Só que o bom momento rubro-negro parou por aí.

O Vovô voltou a levar perigo aos 21, com lance de oportunismo de Vina em chute da entrada da área. A defesa athleticana vacilou aos 28 e Mendoza, livre de marcação na pequena área, carimbou a trave após cabeçada.

As principais chances do Ceará passavam por Vina e Mendoza. Após boa tabela da dupla, o colombiano arriscou o chute aos 38, mas errou o alvo.

O Athletico foi chegar novamente só aos 44, em contra-ataque, e por muito pouco não abriu o placar após finalização de Vitor Bueno, mas o goleiro João Ricardo fez uma defesaça.

O Ceará voltou melhor do intervalo e iniciou a etapa final pressionando o Furacão, com o estreante Jô e Vina. Felipão, por sua vez, apostou em Pablo no lugar de Vitor Roque. O treinador também promoveu as entradas de Léo Cittadini e Cuello.

Só que o ritmo do jogo caiu no decorrer do segundo tempo, com pouca criatividade de ambas as equipes. E as raras chances criadas, tanto pelo Athletico quanto pelo time da casa, esbarraram na falta de qualidade no último passe.