Economia
Vendas do comércio varejista avançam 4% no Paraná
Roberto Dziura Jr/AEN

Vendas do comércio varejista avançam 4% no Paraná

O volume ampliado segue a mesma tendência, com alta de 4,2%

Mirian Villa - quinta-feira, 13 de junho de 2024 - 12:28

O volume de vendas do comércio varejista do Paraná cresceu 4% entre janeiro e abril, em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado foi puxado pelo crescimento nas vendas do setor de material de construção (14,5%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, empatado com o setor de móveis (13,7% cada), e veículos, motocicletas, partes e peças (12,3%).

Na sequência aparecem outros artigos de uso pessoal e doméstico (12,1%), hipermercados e supermercados (8,8%) e móveis e eletrodomésticos (8,7%). A alta das vendas registrada no Paraná também impactaram positivamente a receita, com crescimento de 6,6% no acumulado do ano de 2024, em relação ao mesmo período de 2023.

Na variação mensal entre abril e março, o volume de vendas no Estado cresceu 1,4%, acima da média nacional, de 0,9%. É o sétimo melhor resultado do Brasil e o melhor da Região Sul. Santa Catarina teve recuo de -0,3% e Rio Grande do Sul teve queda de -1%. Nos últimos 12 meses em relação ao mesmo período anterior, o Paraná registra alta de 2,3% no volume de vendas do comércio varejista.

Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quinta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Vendas do comércio varejista ampliado

Segundo a PMC, o volume de vendas do comércio varejista ampliado do Paraná segue a mesma tendência de crescimento, registrando alta de 4,2% entre janeiro e abril de 2024, em relação ao mesmo período do ano passado. Essa categoria inclui vendas de automóveis, peças de veículos, materiais de construção e produtos alimentícios, além dos demais setores investigados pelo órgão.

O resultado foi puxado pelo crescimento nas vendas de veículos, motocicletas, partes e peças (14,5%), eletrodomésticos (14%) e material de construção (13,2%). Na sequência aparecem móveis e eletrodomésticos (12,1%), móveis (10,5%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (9,4%).

Já o crescimento de 14,5% no setor de veículos, motocicletas, partes e peças é o quinto melhor resultado do País e o primeiro do Sul. Santa Catarina (13,9%) e Rio Grande do Sul (11,5%) aparecem na sequência, mas abaixo da média nacional (14%). A PMC realiza esse recorte em 12 estados.

No volume de venda de materiais de construção, o Paraná ficou em segundo lugar entre os 12 estados que participam da pesquisa, com 13,2% no período de janeiro a abril de 2024, em relação ao mesmo período de 2023. Bahia aparece em primeiro, com 21,1%. Rio Grande do Sul aparece em nono lugar (-0,4%) e Santa Catarina em décimo (-1,2), abaixo da média nacional (2,4%).

Compartilhe